Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]

Edição 70. Festa

Ana Aragão
Ana Aragão

Ana Aragão (Porto, 1984) é arquitecta licenciada pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto FAUP (2009), onde trabalhou também como monitora (2009). Foi bolseira da FCT no Doutoramento no Departamento de Arquitectura da Faculdade de Coimbra (2011-2014). Com atelier no Porto desde 2012, dá continuidade à investigação acerca da cidade e imaginários urbanos através do desenho e ilustração.  

Das suas exposições e projectos recentes, destaca-se “Vertical Reclamation of Individual Spaces” (2018), exposição individual e residência artística na Fundação do Oriente, Macau, com curadoria de João Ó, a exposição individual “Imaginary Beings” em Macau (Taipa Village, 2017), a exposição individual em colaboração com a Jofebar “Future Frames” (2016), que contou com a participação de Alexandre Farto (VHILS), Álvaro Domingues, Camilo Rebelo, Pedro Bandeira, Mário de Carvalho e Nuno Grande. Salienta-se ainda a sua participação no Mam’2019 Mês da Arquitectura da Maia, com curadoria de Andreia Garcia, o desenvolvimento de ilustrações para a publicação comemorativa dos 25 anos do CCB (2018), coordenado por Nuno Grande, a participação na Bienal de Veneza de 2016 (a convite do Atelier ADOFF), a participação na representação portuguesa de Arquitectura na Bienal de Veneza de 2014 (Homeland), com curadoria de Pedro Campos Costa, a participação no Projecto “Dear Future” no âmbito da Trienal de Arquitectura de Lisboa de 2013. Tem colaborado com diversas marcas em projectos, como Porto Barros, Porto Editora, Tapeçarias Ferreira de Sá, Schmidt Light Metal, Vista Alegre, Essência do Vinho, BSA, Underdogs, Meo Out Jazz, AEP,  Grupo Almedina, entre outros.

Alguns dos seus projectos pessoais sobre espaços urbanos específicos são: Macau (“Drifting (in) Macau”, 2018), Espinho (“Uma cartografia (des)encontrada”, Festival do Norte, 2013), Braga (Noite Branca, 2013), Aveiro (“Lugares Múltiplos”, 2015), Guimarães (“Futuros Incompletos”, Casa da Memória, 2015).

Em 2014 integrou a selecção da Luerzer's Archive dos "200 Best Illustrators Worldwide”.

https://www.anaaragao.com/

© 2019 | all rights reserved. design by 004 F*@#ing Ideias